Cirurgia refrativa

O que é?

É toda cirurgia destinada a corrigir erros de refração do olho humano. Nosso olho tem um conjunto de lentes naturais que faz com que a luz externa chegue até a retina para formar imagens com nitidez. Quando há algum defeito nesse sistema de lentes, ocorrem os chamados defeitos, ou “vícios”, de refração.

A cirurgia refrativa se propõe a compensar esses defeitos de refração.

Quais são os defeitos refrativos?

Os defeitos de refração mais comuns são miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia.

Quais os tratamentos possíveis?

Existem as cirurgias a laser e as cirurgias com implante de lentes intraoculares.

Cirurgia refrativa a laser

As cirurgias refrativas a laser em geral se destinam ao tratamento da córnea, modificando o poder refrativo da mesma. A aplicação do laser para correção do grau demora, em geral, apenas alguns segundos. Mas, para receber o tratamento do laser efetivamente, é necessário o preparo da córnea, o que costuma consumir entre 2 a 7 minutos. Assim, a cirurgia como um todo, para os dois olhos, costuma demorar entre 15 a 20 minutos.

Cirurgias com implante de lentes intraoculares

Existem as cirurgias em que se implantam lentes no interior do olho sem a prévia remoção do cristalino. São os implantes de lentes fácicas. E existem os implantes que se fazem com a prévia remoção do cristalino, que são as de lentes pseudofácicas.

As lentes pseudofácicas costumam ser usadas em pessoas portadoras de catarata e nas pessoas com idade acima dos 55 anos em diante. As lentes fácicas são geralmente utilizadas em pessoas com menos idade, e podem corrigir miopia, hipermetropia e astigmatismo.

Em alguns casos, mais raros, pode-se combinar cirurgia a laser com o implante de lentes.

Qual procedimento é indicado em cada situação?

A opção por laser ou pelo implante de lentes vai depender de cada caso, considerado individualmente, e tendo em conta vários fatores, como tipo do defeito, idade do paciente, detalhes anatômicos dos olhos, estilo de vida do paciente e qual o resultado almejado.

Contraindicações

Existem situações em que as cirurgias refrativas podem estar contraindicadas, seja por doenças – oculares ou sistêmicas – ou por defeitos anatômicos dos olhos. Sempre deve haver uma criteriosa avaliação de cada caso, individualmente. Antes de decidir pela cirurgia, seja qual for a abordagem pretendida, é fundamental a análise de cada situação, para a qual são necessários vários exames para avaliar riscos e limites das técnicas cirúrgicas pretendidas.

Essa avaliação pré-operatória deve ser minuciosa, inclusive considerando o perfil emocional e as expectativas do paciente.