Tratamento do Glaucoma e Catarata em Curitiba

Tenho Glaucoma e Catarata, e agora?

O glaucoma e a catarata são doenças oculares que podem levar a cegueira de formas diferentes. O glaucoma é uma doença que acomete o nervo óptico e muitas vezes está associada ao aumento da pressão intraocular (PIO). Já a catarata é uma doença que acomete a lente interna do olho, o cristalino, e está associado à turvação visual como sintoma inicial. As duas doenças estão se tornando a cada dia mais prevalentes na população mundial pois tendem a acometer pacientes acima de 60 anos e o envelhecimento populacional mundial tem contribuído para números cada vez maiores de portadores de ambas.

Pacientes com glaucoma tendem a ter maior prevalência de catarata pois o tratamento antiglaucomatoso, tanto os colírios quanto a cirurgia, tende a acelerar o processo de opacificação do cristalino.

Então, pacientes com glaucoma, quando diagnosticados com catarata deverão ter algumas perguntas respondidas:

  1. Qual o tipo de Glaucoma?

O subtipo mais comum de glaucoma é o primário de ângulo aberto e este não tende a ter uma diminuição importante da PIO após a cirurgia de catarata isolada. Já alguns subtipos menos comuns como o primário de ângulo fechado e o  pseudoexfoliativo são os que tendem a apresentar uma maior redução de PIO após a cirurgia de catarata.

  1. Qual a severidade da doença no momento?

Paciente com um glaucoma inicial poderá se beneficiar apenas da cirurgia de catarata de forma isolada. Pacientes com glaucoma moderado a severo deverão ser avaliados para uma possível cirurgia de catarata e glaucoma combinadas.

  1. Como está a pressão intraocular? Está em uso de quantas drogas?

O paciente que utiliza somente uma medicação antiglaucomatosa apresentar algum aumento na PIO após a cirurgia de catarata isolada, ele poderá aumentar o número de medicações tópicas utilizadas e alcançar a pressão ideal. O paciente que já está em terapia máxima ou aquele que não tolera /tem contra-indicações ao uso de alguns colírios não pode ter grandes variações de pressão intraocular no pós operatório da cirurgia, uma vez que ele não tem mais opções medicamentosas disponíveis.

Após as três perguntas respondidas, o paciente será classificado conforme tipo e severidade da doença para três possíveis linhas de tratamento:

  1. Cirurgia de catarata isolada

Pacientes com glaucoma inicial, em uso de uma ou duas drogas ou pacientes de glaucoma primário de ângulo fechado são, em geral, os candidatos ideais para se submeterem a cirurgia de catarata de forma isolada.

  1. Cirurgia de catarata + MIGS

Os MIGS (cirurgia minimamente invasiva para glaucoma) são os modernos dispositivos que foram liberados pela ANVISA para implante combinado com cirurgia de catarata. São indicados em casos leves a moderados de glaucoma primário de ângulo aberto. Estudos têm demonstrado redução da PIO modesta, permitindo a diminuição do uso de uma droga hipotensora.

  1. Cirurgia de catarata + Trabeculectomia

Pacientes com glaucoma moderado a severo é a cirurgia de escolha se a PIO está descontrolada. A trabeculectomia isolada acelera o processo de opacificação do cristalino, então cirurgias combinadas são a melhor opção nos pacientes que já apresentam algum grau de catarata.

A PIO deve ser monitorada com zelo nas consultas pós operatórias a fim de impedir picos hipertensivos. Pacientes com glaucoma requerem prudência no momento da cirurgia de catarata, pois alterações anatômicas podem estar presentes, por isso a importância de um exame oftalmológico completo e detalhista.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco.

Tags: No tags

Leave A Comment