Exames computadorizados

Na oftalmologia moderna o uso de exames computadorizados tornou-se praticamente indispensável. Utilizam-se computadores para medir defeitos de refração, para medir graduação de lentes, e muitos outros procedimentos.

Vamos comentar brevemente alguns exames realizados com auxílio de computadores.

BIOMETRIA COMPUTADORIZADA: é o exame feito para medir estruturas e o comprimento dos olhos. Essas medições podem ser feitas por ultrassom –  biometria ultrassônica – ou feixes de luz – biometria óptica. É exame indispensável para calcular a potência das lentes intraoculares nas cirurgias de catarata ou na remoção do cristalino com finalidade refrativa (correção de graus de óculos). A biometria óptica é mais exata do que a ultrassônica, mas nos casos de catarata muito avançada, algumas vezes a biometria só é possível pelo método ultrassônico.

TOPÓGRAFO COMPUTADORIZADO DA CÓRNEA: faz uma análise das curvaturas da superfície externa da córnea. É essencial no diagnóstico de várias doenças da córnea, como ceratocone, na adaptação e acompanhamento do uso de lentes de contato e no pré e pós-operatório nas cirurgias de transplante de córnea e de catarata.

TOMÓGRAFO CORNEANO POR SCHEIMPLUG: faz análise da superfície externa, superfície interna e espessura da córnea, e tem as mesmas indicações da topografia, à qual acrescenta informações importantes na escolha de lentes intraoculares, transplantes de córnea, diagnóstico e acompanhamento de algumas doenças da córnea – especialmente as ectasias iatrogênicas e espontâneas da córnea, ceratocone, avaliação da transparência do cristalino e do ângulo camerular (ângulo formado pela íris e córnea).

PAQUÍMETRO ULTRASSÔNICO CORNEANO: mede a espessura da córnea em pontos específicos, desconsiderando a espessura do filme lacrimal.

MICROSCÓPIO ESPECULAR DE CÓRNEA: permite avaliar o número, a densidade e a morfologia das células que revestem a curva interna da córnea, a presença de pequenas deformidades na superfície interna da córnea, importantes para diagnóstico e acompanhamento evolutivo de algumas distrofias corneanas, e outras condições relativas à saúde das células endoteliais, que forram a córnea na sua superfície interna e que são responsáveis pela manutenção da transparência da córnea.

TOMOGRAFIA POR COERÊNCIA ÓPTICA: não utiliza radiação eletromagnética e é fundamental no diagnóstico e acompanhamento de importantes doenças da retina, do  glaucoma e também de algumas alterações corneanas. Na retina é indispensável no acompanhamento de degenerações, edemas (inclusive diabéticos), hemorragias, buracos e membranas anormais da retina. Fornece dados essenciais nas decisões sobre injeções intraoculares e em vários procedimentos cirúrgicos da retina.

Na córnea pode fornecer detalhes minuciosos de todas as camadas da córnea, como edemas, infiltrados inflamatórios e sanguíneos na intimidade corneana, localização de implantes intracorneanos, etc.

CAMPIMETRIA COMPUTADORIZADA: torna muito mais precisos os exames dos campos visuais, que constituem elementos essenciais no diagnóstico e seguimento do glaucoma e de algumas doenças neurológicas que afetam a visão.