Solicitação de ExamesCADASTRE-SE AQUI

BLOG - HBO

Cura de doenças oculares por meio de exercícios não possui comprovação científica

Nas últimas semanas repercutiu com grande intensidade nas mídias sociais um vídeo postado por uma terapeuta ocupacional. No vídeo ela promete a cura de problemas visuais através de exercícios com os olhos. Sempre ressaltamos aos nossos pacientes que tais exercícios e tratamentos não apresentam nenhum respaldo científico.

Quando você perceber qualquer alteração na sua visão, ou tiver alguma dúvida, o ideal é sempre procurar o oftalmologista. É ele quem irá responder suas perguntas ou indicar o melhor procedimento em caso de necessidade de tratamento.

Abaixo, um trecho da nota do Conselho Brasileiro de Oftalmologia sobre o caso:

“O Juiz da 5ª Vara Cível e Empresarial de Belém (PA) determinou que a terapeuta ocupacional (...) suspenda imediatamente em sua página na internet e em outros veículos de informação qualquer sugestão de tratamento para patologias oculares que não tenham evidência científica.

A sentença é resultado de Ação Cível Pública ajuizada pela Associação Paraense de Oftalmologia e pela Sociedade Paraense de Oftalmologia contra a terapeuta ocupacional que garantia, em sua página na internet, a “cura” de doenças oculares por intermédio de exercícios e outros artifícios fantasiosos.”

Publicado em: 08/06/2016


A nova geração de TVs vale a pena?

Com o passar dos anos pudemos vivenciar as transformações e avanços da tecnologia nos mais diversos sentidos. No que se diz respeito às televisões, houve o início com aparelhos em preto e branco (simplesmente a reprodução de imagens já era fantástica); logo vieram as chamadas TVs de tubo (que possibilitavam imagens coloridas); e, a partir de então, a busca foi pela melhor definição, vieram os aparelhos de plasma e LED, e cada vez as TVs se tornaram mais finas e maiores.

Na busca pela imagem perfeita surgiram as TVS de resolução HD, Full HD, e agora a última geração trouxe as TVs 4k e 8k. Mas a questão é: até quando essa tecnologia será perceptível ao olho humano?

Para entender melhor: a menor informação possível captada em uma tela é chamada de pixel. Ou seja, são aqueles quadradinhos que você pode observar em uma tela digital. Um megapixel equivale a 1 milhão de pixels. Já o termo resolução se refere à quantidade de pixels que cabem em determinado espaço. Quanto mais pixels couberem, melhor a resolução. O chamado 4k, por exemplo, é composto por 3.840 x 2.160 pixels, que multiplicado dá 8.294.400 pixels, o equivalente a 8,3 megapixels de resolução.

A tecnologia conseguiu diminuir a densidade dos pixels, então a qualidade da imagem também vai depender de quantos pixels é possível colocar em um mesmo espaço. Para esta análise, utiliza-se como medida a polegada (2,54cm), sendo expressa a relação PPI, pixels por polegada (pixels per inch em inglês).

Para os nossos olhos, a relação que deve ser feita para analisar resolução é o DPI, pontos por polegada (dots per inch em inglês). Segundo especialistas, a distinção máxima de objetos separados por um olho humano é de 0,1mm a uma distância de 25cm. O cálculo revela uma capacidade de 300 pontos a cada 25,4mm, ou seja, 300 DPI. Além do mais, conseguimos enxergar cerca de 1 milhão de cores.

Segundo o oftalmologista da Unifesp, Paulo Schor, a resolução máxima que conseguimos enxergar é de 576 megapixels, e defende que o Full HD é o limite que conseguimos distinguir. Contudo, as TVs 4K e 8K certamente estarão presentes em massa em pouco tempo. Isso porque a qualidade de imagem é definitivamente melhor, porém só será perceptível em telas cada vez maiores, além de demandar conteúdos produzidos nessas resoluções (já há vídeos e filmes no Youtube e Netflix gravados em 4k). Se estiver pensando em comprar uma TV 4K, avalie antes qual o tamanho da tela e qual a distância você ficará do aparelho, para que possa valer a pena.

Colaboração: Artur Schmitt

Publicado em: 17/12/2015


Equipamentos de alta tecnologia no Hospital Barigui de Oftalmologia

Sabemos que os avanços tecnológicos vieram para melhorar cada vez mais a área médica. É por isso que o Hospital Barigui de Oftalmologia procura sempre se manter o mais atualizado possível.

O facoemulsificador Centurion Vision System, da renomada empresa Alcon, é um dos equipamentos utilizados pelo Hospital, sendo um dos mais avançados para a realização da cirurgia de catarata.

O Centurion possui uma tecnologia inteligente que otimiza cada etapa do procedimento, oferecendo maior agilidade e segurança. O sistema se adapta automaticamente às mudanças de condições dos olhos durante a cirurgia, promovendo mais estabilidade, melhor controle da pressão intraocular e uma fluídica mais moderna – que significa maior sincronia entre a velocidade de irrigação do globo ocular e aspiração do cristalino.

Publicado em: 13/11/2015


Entre em contato conosco

Quer marcar uma consulta?


Se preferir, utilize o formulário abaixo

É facil e rápido

hidea.com - agência web